Devido à escassez de profissionais, transportadoras de todo mundo adotam medidas para tornar atividade mais atrativa. No Brasil, não é diferente.

 

O setor de transportes de carga sofre, há algum tempo, muitas dificuldades para atrair novos motoristas. O problema não é comum apenas no Brasil, mas em todo mundo, principalmente pelo envelhecimento da população e pela falta de reconhecimento que a profissão possui. As principais ideias que se tem do trabalho de um motorista são as longas jornadas de trabalho, acidentes de trânsito e o baixo salário. Essa imagem tem afastado novos interessados, causando défict de profissionais no mercado, como aponta a pesquisa da consultora de Recursos Humanos ManPower Group, que coloca a  função de motorista de caminhão entre as 10 mais difíceis de preencher, em nível global.

A solução encontrada por muitas empresas é investir na formação de seus profissionais, oferecendo capacitações e treinamentos, principalmente para jovens, apresentando todas as vantagens que à carreira possui. Um bom exemplo pode ser encontrado na Africa do Sul: a legislação do país permite que apenas cidadãos acima de 21 anos conduzam veículos de carga, no entanto, em média, os jovens sul-africanos completam o ensino médio aos 16/17 anos. Por esse motivo, muitos, por não poderem se tornar motoristas, acabam partindo para outras profissões. Uma das alternativas encontradas pelo governo do país foi oferecer bolsas de estudos para recém formados no ensino médio, qualificando e formando os futuros motoristas nos Estados Unidos. Dessa forma, os jovens completam 21 anos aptos a dirigir e com a qualificação.

Nos Estados Unidos a solução encontrada por empresas de transporte, como a Try Hours Inc., tem sido o investimento no conforto do motorista. Os caminhões foram adaptados para receber TV a cabo, microondas, leito confortável e até mesmo chuveiro. Além disso, muitos caminhoneiros podem viajar com suas esposas. A ideia é que, com todo o conforto, o motorista possa passar mais tempo na estrada. Também houve grande aumento no salário da categoria. Ainda assim, nem todas as transportadoras americanas estão convencidas que esse tipo de ação é válida, devido seu alto custo.

No Brasil, a péssima condição das rodovias, acidentes de trânsito e a saudade da família são as principais reclamações dos motoristas. Com a escassez evidente de profissionais, o Governo Federal criou programas para incentivar a formação de novos motoristas. No Sest/Senat, jovens podem tirar sua primeira habilitação gratuitamente. Em outro programa do órgão, homens e mulheres entre 21 e 45 anos, com renda familiar de até 3 salários mínimos, podem capacitar-se gratuitamente para mudar de categoria da carteira de habilitação. O Sest/Senat também oferece outros cursos e qualificações. Confira em www.sestsenat.org.br.

As transportadoras, por sua vez, têm investido na modernização de seus serviços, principalmente através de sofwares de tecnologia e inovação. A ideia geral é tornar o serviço mais qualificado e competitivo, mas a tecnologia também garante melhorias na atividade dos motoristas: os sistemas automatizados de logística buscam as melhores rotas, preveem prazos e calculam custos das viagens; o restreamento da carga e caminhão dá segurança; e os computadores de bordo modernizados dos veículos garantem alguns luxos, como ar-condicionado e TV.

Como você já viu em “Desafios do setor de transportes”, de nada vale investir em tecnologias se elas não forem de fácil instalação e manuseio, pois elas podem acabar dificultando a atividade dos motoristas, e até mesmo a busca por profissionais qualificados para o serviço. Por esse motivo é importante que as transportadoras invistam em tecnologias simples. Um exemplo é o software de controle de combustíveis da CTA Plus. Além de efetuar a gestão completa dos abastecimentos da empresa, o sistema é uma ótima forma de atrair novos motoristas, por meio de programas de premiação de desempenho. Essa ação é possibilitada pela função metas de consumo, e beneficia os motoristas que obtiverem as melhores médias. Bacana, não?! Para mais informações, leia o artigo “Relatório de economia de combustível em tempo real”.

Em um panorama geral, pode-se concluir que a qualificação do serviço, juntamente com iniciativas de instituições de ensino, governo e empresários, são as melhores maneiras para atrair profissionais interessados e capacitados a dedicar suas carreiras a um setor de serviço tão importante para a economia do país.

Gostou, tem alguma pergunta, crítica ou sugestão?

Deixe o seu comentário!